Dalton Paula

A primeira residência do projeto Área Criativa EQTA convidou o artista visual goiano Dalton de Paula que atualmente está realizando uma pesquisa sobre lideranças quilombolas históricas.  O artistas planejou uma série de viagens a diversos quilombos do país e começou este trabalho por Pinhões. O resultado será uma série de retratos dessas pessoas que foram referência para a história do Brasil, mas ainda tem pouca visibilidade. As pinturas tem a intenção de contribuir para uma reescrita da história.

Oficina Retrato

Como forma de compartilhar um pouco de sua pesquisa Dalton realizou uma oficina na escola quilombola de Pinhões. Ao todo foram 9 turmas de crianças e adolescentes que participaram de uma oficina de retrato. Usando o papeis kraft e uma caixa de giz de cera com uma maior diversidade de tons de pele, o artista goiano propôs para as crianças a construção de retratos de pessoas que fossem importantes para eles, como seus pais, irmãos, amigos e se fosse o desejo criar até um auto retrato. Esta foi uma maneira que o artista usou para criar um debate sobre identidade, representação dentre outras pautas que foram surgindo a partir da participação das crianças.

Sua passagem por Pinhões foi bastante intensa e gerou muitas ideias de trabalhos. Durante suas caminhadas e conversas com os moradores da comunidade Dalton ficou conhecendo uma tradição de Pinhões chamada Forró na Brasa que acontece do dia 23 para o dia 24 de junho. Na tradição uma grande fogueira é preparada em frente a igreja católica e fica queimando até virar um grande braseiro. Está é a base para o tapete de brasa por onde os corajosos passam com os pés descalços. Foi desta tradição que surgiu a AMARELINHA, trabalho que discute as relações e jogos que existem em torno do direito à terra quilombola.