UTOPISMO ESPAÇO-TEMPORAL

MUROS BH

UTOPISMO ESPAÇO-TEMPORAL

  O coletivo Rachadura propõe aos moradores do Bairro Renascença a diminuição do muro das casas. O muro assume a imagem da separação de uma esfera privada de uma pública, a imagem de barreira indispensável à garantia da privacidade e das posses particulares. O trabalho Utopismo espaço-temporal joga com a palavra de ordem dominante de segurança na imagem da diminuição dos muros. E por este jogo, um dos moradores permitiu a empreitada artística e aceitou reduzir o muro de sua casa.

''...E o muro acaba por assumir, mais do que a imagem da separação de uma esfera privada de uma pública, a imagem de barreira indispensável à garantia da privacidade e das posses particulares.''

  O coletivo registrou  em vídeo as tentativas de convencimento. Nessas conversas as pessoas lembram de um passado recente de apropriação das ruas pelos moradores, das relações de vizinhança e das dificuldades contemporâneas relativas à necessidade de segurança. Conversas informais aderidas a um discurso hegemônico da violência instituída. Palavras particulares oscilando como palavras de ordem aprendidas dos meios de comunicação, dos programas televisivos, dos jornais impressos ou da internet. Palavras de ordem sobre o cotidiano, compondo o vocabulário das conversas informais, formando a opinião pública, cujas respostas já dadas propagam a segurança a qualquer custo que as pessoas possam pagar.