Dedetização-PB-2t
Paulo Bruscky

Estendendo-se por inúmeros espaços da cidade a exposição “Dedetização PB2T” do artista pernambucano Paulo Bruscky ocupará o EXA a partir do dia 24 de novembro.

Desde os anos 1960 Paulo Bruscky elabora ampla pesquisa transitando com desenvoltura entre diversificadas linguagens como a poesia visual, o poema-processo, a poesia sonora, a videoarte, o super-8, a artdoor e a arte- correio. Em seu extenso “banco de ideias” possui ainda projetos de performances, instalações, intervenções urbanas, vídeos e distintas linguagens multimídia. Sem dúvida alguma, meios e técnicas não definem sua prática artística, tão vasta quanto múltipla.

Sob curadoria de Marconi Drummond, parte deste vasto repertório artístico comporá o programa expositivo preparado para o EXA e para algumas áreas urbanas da cidade de Belo Horizonte. A exposição está organizada em duas etapas constituídas de performances, vídeos e dispositivos gráficos (arte postal, poesia visual, cartaz, livros de artista, carimbos, postais e impressos).

Algumas produções inéditas foram desenvolvidas especialmente para o EXA como a performance “Escadas” (2010). A partir de 3 rotas pré-determinadas 6 pessoas carregam pelas ruas da cidade 3 escadas de cores diferentes. Esta obra presta homenagem a Aarão Reis, engenheiro-chefe da comissão construtora responsável pelo projeto urbanístico de Belo Horizonte e as etnias indígenas que nomeiam parte das ruas da capital mineira.

Articulados pela proposta do artista pioneiro da arte-correio no Brasil um grupo de interlocutores convidados, de distintas áreas de atuação, estabelecerão, junto com o artista Paulo Bruscky, uma rede de correspondências intercidades Recife/Belo Horizonte. A medida que os diálogos gráficos forem estabelecendo-se o resultado será apresentado no espaço EXA.

Já a performance “Jogo-performance” (1970/2012) ocupará o campo de futebol da barragem Santa Lúcia, espaço a ser ocupado e ativado simultaneamente por 22 times formados por 1 jogador.

A performance “O meu cérebro desenha assim” (1976/2012) será partilhada com o artista Guilherme Cunha. Realizada ao vivo no espaço EXA, a dupla utilizará no seu experimento artístico um equipamento de eletroencefalograma para estabelecer um diálogo de impulsos cerebrais.

Por último o EXA exibiu uma mostra de videoarte onde o público poderá assistir uma seleção de filmes experimentais elaborados pelo artista desde a década de 1970, com distintos meios e técnicas, a maioria produzida em super-8, entre eles “Via crucis” (1979), “Composição nos fios-partituras mutantes” (1979), “Poema” (1979) e “Xeroperformance” (1980).

Meu cérebro desenha assim

Jogo - Performance

Homenagem à Aarão Reis

2º Etapa - Exposição