ARTE, INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E INTELIGÊNCIA AUMENTADA (IAs)

 

Vou explorar introdutoriamente, e através de diversos exemplos, o uso e a aplicação de técnicas computacionais (IAs) em diversos domínios artísticos, do desenvolvimento de artefatos epiteliais baseados em “realidade aumentada” (tatuagens virtuais e dinâmicas), ao uso de dispositivos locativos (tablets e celulares) em dança contemporânea e música computacional. Ao final, vou explorar algumas consequências que as IAs exercem sobre áreas historicamente consolidadas — Estética Cognitiva, Neuro-estética, Humanidades Digitais, Filosofia Experimental.


João Queiroz (www.semiotics.pro.br, https://ufjf.academia.edu/joaoqueiroz) é professor no Instituto de Artes e Design (IAD), da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde coordena o Grupo de Pesquisa em Ciências Cognitivas e Semiótica. É membro diretor do International Association for Cognitive Semiotics (IACS), membro do Grupo de Pesquisa em Cognição Artificial (UEFS), pesquisador associado ao Institute for Research on Antecipatory Systems (Dallas). Tem colaborado com pesquisadores de diferentes áreas — Inteligência Artificial, Neurociência, Lógica e Filosofia da Ciência — de diversas universidades (Helsinki, Copenhagen, Aarhus, Bloomington). Atualmente é co-editor do projeto Commens – Digital Companion of C.S.Peirce, desenvolvido em colaboração com o Helsinki Peirce Research Centre.

UA-28532263-1